sexta-feira, 14 de maio de 2010

Cazuza

Faz parte do meu show ser assim, misterioso.
Invento desculpas, provoco uma briga, digo que não estou.
Sou assim mesmo, exagerado.
Gosto de me jogar aos seus pés.
Faz parte do meu show.
Se eu te escondo a verdade, babe, é pra te proteger da solidão.
Mas nessa vida louca, vida, vago na lua deserta das pedras do Arpoador.
Cheio de ideologias, que por quase um segundo, me fazem balançar, né Bete?
Às vezes eu queria ter uma bomba, um flit paralisante qualquer.
E enquanto não encontro todo o amor que ouver nessa vida,
digo alô ao inimigo, encontro um abrigo no peito do meu traidor.
Faz parte do meu show... Ser meio bossa-nova e rock'n'roll.
Mas pra que mentir? Fingir que perdoei?
A emoção acabou, mas o tempo não para.
A nossa música nunca mais tocou mesmo assim, eu sei que o dia vai nascer feliz.
E eu sei que vou poder, afinal eu preciso, dizer que te amo,
tanto.

2 comentários:

Antonio de Castro disse...

"Mentiras sinceras me interessam"

confesso que não gosto muito do Cazuza, mas você escreveu bem esse texto, tenho que admitir.

Acho que só faltou Maior Abandonado.
Dica.

Debrinha disse...

Eu adoro um amor inventado...

Cara, amo Cazuza, o mundo sabe disso. E acho que é porque ele era um sentimentalzinho confuso e pseudo revolucionário. E eu sou sentimentalzinha confusa...